radio zumbi

sábado, 31 de outubro de 2015

Ingá promove Cavalgada Cultural e Ecológica neste domingo


Neste domingo, 1º de novembro de 2015, acontece a 7ª Cavalgada Cultural e Ecológica de Ingá. A cavalgada faz parte das comemorações dos 175 anos de aniversário de Ingá. A concentração está marcada para o Parque Burity, onde será celebrada uma missa campal. Por volta das 8 horas será servido um café da manhã e às 9 horas os cavaleiros saem para a cavalgada.

O evento contará com a participação de Galego Aboiador e animação de Pai Locutor. Vavá da Luz, um dos organizadores, comunica que o evento não tem nenhuma ligação política partidária. “É uma cavalgada de Ingá para todos os ingaenses”, afirmou. “Peço que todos os filhos de Ingá compareçam, comprem suas camisas e saiamos juntos, numa demonstração de democracia e confraternização, com muito forró, bate sela, bingo, feijoada e um belo passeio ecológico”, disse ele.

Mais informações pelos telefones (83) 9 9126 7640 (Alex Martins) e 9 9147 0473 (Vavá da Luz).


sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Moradores de Salgado reclamam de galeria no centro da cidade

 
Foto: Betho Sousa

Os moradores da região central de Salgado de São Félix cobram solução para o mau cheiro que exala de uma galeria na Rua Maria Efigênia, no Conjunto Apolinário, cujas águas poluídas exalam mal cheiro e produzem ratos, baratas e outros animais pestilentos. Segundo moradores do local, até o inseto conhecido como barbeiro, transmissor de doenças coronárias, já foi visto na galeria.

“Nessa rua moram seres humanos e não bichos. Há idosos, crianças, deficientes, pais e mães de família que querem apenas um lugar digno para viver, mas infelizmente estão jogados à própria sorte”, comentou um dos moradores nas redes sociais. Outras pessoas culpam os próprios habitantes da localidade que jogam lixo na galeria e não colabora para a higiene e despoluição. “Mas, é papel do poder público promover campanhas de conscientização para que as pessoas mantenham a galeria limpa”, observou outro morador.

 “É uma situação que provoca indignação. Pois se eu cortar uma árvore, posso ser preso por dano ambiental, mas eles, os responsáveis pela gestão pública, podem deixar a população assim convivendo na podridão, impunemente”, disse outro morador.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Familiares de Chico Veneno prestigiam relançamento de jornal após 50 anos em Itabaiana



Familiares de Chico, entre eles sua filha, Tabira, a 4ª da direita para a esquerda (Foto: Michel Melo)


Consumado o golpe militar de 1964  no Brasil, dominado o Congresso Nacional, através da cassação de mandatos parlamentares, exiladas as principais lideranças do país, reprimido com violência o movimento estudantil, presos políticos abarrotando penitenciárias em todo o país. Eis o cenário imposto pelos militares no poder. Cerceada a oposição legal, através de extinção dos partidos políticos tradicionais e com o bipartidarismo imposto pela força, emergiram lideranças corajosas entre os estudantes, profissionais liberais e até religiosos no combate à ditadura. Uns optaram pela luta armada, outros fizeram da imprensa independente sua trincheira de luta. Um desses foi o agitador cultural e político Francisco Joaquim de Almeida Neto, o Chico Veneno, de Itabaiana, cujo jornal “Evolução” foi um marco na imprensa combativa dessa cidade nos anos de chumbo, entre 1964 e 1968.

O jornal de Chico foi reeditado pelos jornalistas Fábio Mozart e Socorro Almeida, cujo número inicial desta nova etapa da publicação foi lançado nesta quarta-feira, 28, no Maison Finesse em Itabaiana, com presença de ex-companheiros de Chico, como o professor Israel Elídio de Carvalho Filho, e familiares do jornalista homenageado. A irmã, Lourdinha Almeida, fez um breve relato de sua trajetória política e artística. Chico foi também cineasta e escritor. 

O jornal será distribuído gratuitamente na comunidade, e servirá de laboratório para estudantes de comunicação e outros agentes sociais e culturais da cidade. 

Na mesma noite, foi lançado o CD Vitalidade, do compositor Vital Alves, que ofereceu ao público presente uma mostra do seu trabalho.

O jornal “Evolução” tem patrocínio do Fundo de Incentivo à Cultura Augusto dos Anjos, da Secult/PB.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Confirmado lançamento de CD e jornal de cultura nesta quarta-feira em Itabaiana



Nesta quarta-feira, 28, às 20 horas, na Casa de Recepções Maison Finesse, a jornalista Socorro Almeida promoverá o relançamento do jornal “Evolução”, fundando em 1964 por Francisco Joaquim de Almeida Neto. Na ocasião, o cantor e compositor Vital Alves também apresentará seu mais novo trabalho, o CD “Vitalidade”.

Confirmaram presença o Presidente da Academia de Letras da  Paraíba, poeta Damião Ramos Cavalcante, o Secretário de Cultura de Itabaiana, empresário Luciano Marinho e o Presidente da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, Sander Lee, que também lançará o folheto “A peleja de Fábio Mozart e Sander Lee na feira de Itabaiana”.
O jornal Evolução é editado pela jornalista Socorro Almeida, prima de Chico Veneno, como era conhecido o fundador da publicação. “O jornalista Chico foi um importante líder cultural e político de Itabaiana que, em plena ditadura, procurava com seu jornal organizar a sociedade civil, dando visibilidade aos tradicionalmente excluídos em nossa cidade”, esclareceu Socorro.
O jornal tem como um dos objetivos trabalhar com estudantes, artistas e lideranças populares, “sem atrelamento político ou de grupo”, divulgando a produção e os eventos locais e preservando a memória cultural da cidade.
O projeto tem patrocínio do Fundo de Incentivo à Cultura Augusto dos Anjos, da Secult/PB.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Escola de Pilar alcança primeiro lugar no Ideb


Professores da Escola Maria Alves de Brito

 


A Escola Estadual Maria Alves de Brito, localizada na zona rural de Pilar, no sítio Jacaré, alcançou o primeiro lugar na 12ª Gerência Regional de Ensino no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para alunos do primeiro segmento (1º ao 5º ano). 

A gestora Irian Maria Rodrigues atribuiu o primeiro lugar da escola no índice do Ideb à dedicação e ao envolvimento que há entre os professores, alunos e pais no cotidiano da escola, apesar de ocupar um espaço pequeno e ter poucos recursos. 

O Ideb é medido por meio de dois fatores: taxa de reprovação e resultado da avaliação na Prova Brasil, composta por questões de matemática e língua portuguesa. O objetivo é alcançar, em todos os segmentos, a média dos países desenvolvidos (6,0) até o ano de 2021.

“Parabenizo a todos os professores, funcionários e alunos, ao Secretário Edynaldo Costa, à Cordenadora do PSI, Tayla Lourenço, ao coordenador do “Mais Educação”, Luiz Mário Medeiros por mais uma conquista da Escola Maria Alves de Brito”, disse a supervisora Danielly Gomes. Para ela, com criatividade e inovações no projeto pedagógico, alguns colégios da rede pública alcançam notas acima da média nacional no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), do Ministério da Educação.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Famílias sofrem com falta de água potável em zona rural de Itabaiana


Em estado de emergência decretado pelo Estado da Paraíba, o município de Itabaiana vem sofrendo com a falta de água potável, principalmente na zona rural. São poucos os açudes e os que existem estão com o volume de água baixo. Alguns moradores tem cisternas construídas, mas precisam recorrer a meios alternativos, como barreiros, poços e açudes.

Na localidade Sítio Novo, os moradores estão consumindo água barrenta e pesada de alguns reservatórios, sendo que os carros pipa da Prefeitura não dão conta de abastecer a região. O publicitário Roberto Fequine fez um apelo nas redes sociais para que as autoridades tomem providência para amenizar o problema. “Falei com alguns vereadores para conseguir um carro pipa para uma família muito carente com bebês gêmeos recém nascidos, mas não fui atendido. Procurei a Secretaria de Agricultura e também não tive resultado. Quando posso, levo alguns baldes de água no meu carro para socorrer àquelas pessoas”, afirmou.

A agricultora Maria Menina, de Cariatá, confirma as informações. “Em Sítio Novo e Cariatá a situação está cada vez mais difícil porque não temos água para consumo”, disse ela.

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), 880 mil pessoas convivem com a seca, pois não têm água potável em casa. De acordo com o secretário de Agricultura e Meio Ambiente do município de Itabaiana, Antônio da Guia de Souza (Carioca), a cidade possui 67 comunidades sendo assistidas pelo programa do Governo. “Hoje temos toda nossa zona rural dependente do programa de abastecimento de água por meio de carro-pipa do Governo do Estado, são 67 comunidades, o que representa cerca de 6 mil pessoas beneficiadas”, 

domingo, 25 de outubro de 2015

Filho da prefeita de Pilar controlava propina na Petrobras, diz Procuradoria Geral da República

Agnaldo Ribeiro

A Procuradoria Geral da República calculou em R$ 357.945.680,52 o total de propina recebida pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, um dos delatores da Operação Lava Jato, e pelo Partido Progressista (PP) a partir de desvios de recursos na área de Abastecimento da estatal.
Em nota, o partido “reitera que não admite a prática de atos ilícitos e confia na Justiça para que os fatos sejam esclarecidos”. Para a defesa do deputado, doação legal não pode ser considerada propina. O advogado de Paulo Roberto Costa negou que a propina paga ao seu cliente e ao PP alcance R$ 357,9 milhões (leia todas as versões ao final desta reportagem).
A PGR narra que a partir de 2011, o comando do PP passou para outros parlamentares, que também passaram a controlar a distribuição da propina: os senadores Ciro Nogueira (PI) e Benedito de Lira (AL) e os deputados federais Arthur de Lira (AL), Eduardo da Fonte (PE) e Aguinaldo Ribeiro (PB)
A cifra foi informada em denúncia apresentada nesta quinta-feira (22) pela PGR contra o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) e seus dois filhos por suposta prática de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A procuradoria informa que, do total repassado, R$ 62,1 milhões foram destinados a parlamentares do PP por meio do doleiro Alberto Youssef.
Segundo a denúncia, ele era responsável por administrar “um verdadeiro ‘caixa de propinas’ do PP” e realizou pelo menos 180 pagamentos para integrantes da sigla.
Na peça, o deputado Nelson Meurer é acusado de receber R$ 29,7 milhões em repasses mensais de R$ 300 mil entre 2006 e 2014. Além disso, teria recebido mais R$ 4 milhões em espécie para sua campanha e outros R$ 500 mil na forma de doações eleitorais da construtora Queiroz Galvão.
Segundo a PGR, o dinheiro de propina servia para que Nelson Meurer e o ex-presidente do PP José Janene (morto em 2010) dessem “apoio e a sustentação política necessários” para manter Paulo Roberto na Diretoria de Abastecimento da Petrobras (que ocupou entre 2004 e 2012), com “finalidade predeterminada de locupletação própria e de terceiros”.
Ao final, a PGR pede que, em caso de condenação, os R$ 357,9 milhões desviados da Petrobras sejam devolvidos como forma de ressarcimento pelos danos causados. Além disso, a procuradoria pede a cassação do mandato de Nelson Meurer.
Aguinaldo Ribeiro citado – Na denúncia, a PGR narra que Paulo Roberto foi nomeado diretor em 2004 pela cúpula do PP à época, integrada, além de Janene e Meurer, pelos deputados Pedro Corrêa (PE) e Pedro Henry (MT) – esses dois últimos, condenados no escândalo do mensalão. A peça também aponta relação mais próxima de Janene com João Pizzolatti (SC) e Mário Negromonte (BA), ambos também investigados na Lava Jato.
“Tais deputados, exatamente pela papel de comando que exerciam no PP, foram os grandes articuladores e beneficiários do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro implantado na Diretoria de Abastecimento da Petrobras”, diz a denúncia.
A PGR narra que a partir de 2011, o comando do PP passou para outros parlamentares, que também passaram a controlar a distribuição da propina. Cita como integrantes desse segundo grupo os senadores Ciro Nogueira (PI) e Benedito de Lira (AL) e os deputados federais Arthur de Lira (AL), Eduardo da Fonte (PE) e Aguinaldo Ribeiro(PB), também investigados no caso.
Quanto a Nelson Meurer, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, diz que ele foi “beneficiário de todos os tipos de repasses de propina, tanto periódicos e ordinários, como episódicos e extraordinários, em todos os momentos pelos quais passou o PP, principalmente antes, mas também depois da mudança de comando na agremiação partidária”.
A denúncia ainda diz que a sustentação política dada por Meurer para manter Paulo Roberto no cargo consistia numa “sinalização continuada” de que, mantido o esquema de propina, o PP permaneceria na base de apoio ao governo.
Defesa – A defesa de Meurer informou que teve acesso à denúncia somente no final da tarde e vai que vai se pronunciar posteriormente sobre as acusações.
Procurado mais cedo pelo G1, o advogado de Meurer, Michel Saliba, ainda sem acesso à denúncia, disse que, em princípio, pretendia apresentar resposta ao STF dentro de 15 dias.
Questionado sobre como será a defesa, ele afirmou que deverá alegar a tese consolidada nos tribunais de que doação legal não pode ser considerada como propina.
“Doação de empresa é doação de empresa. Não tem como carimbar dinheiro doado a algum candidato como fruto de uma troca. Se assim o for, todos os deputados que receberam doação de empresas que estão investigadas — de uma forma ou de outra, não só na Lava Jato, mas se tiver alguma imputação criminal sobre ela — esse parlamentar passa a ser suspeito”, afirmou.
Para a defesa, a PGR deveria apontar um “nexo de causalidade” entre algum ato do deputado e o recebimento do dinheiro para a configuração de propina.
O advogado João de Baldaque Mestieri, que faz a defesa de Paulo Roberto Costa, negou a informação da PGR de que o total de propina paga ao seu cliente e ao PPx chegou a R$ 357,9 milhões.

“Que imaginação! Pode desmentir”, afirmou Mestieri. E completou: “Tudo o que ele tinha a dizer já foi dito. O resto é figuração. Não há sentido algum. Ele está sendo agora bombardeado de uma maneira… Não sei se é desespero. Isso não existe, ele não tem nada”, declarou.

sábado, 24 de outubro de 2015

Programa radiofônico discute patrimônio histórico de Itabaiana neste sábado

Unhandeijara Lisboa, mestre das artes visuais

O programa “Alô comunidade” recebe hoje, sábado, 24, o mestre em artes visuais Unhandeijara Lisboa e o sindicalista Valdo Almeida para debate sobre preservação do patrimônio histórico, cultural, artístico, turístico e paisagístico da cidade de Itabaiana, com a participação da poetisa Renaly Oliveira, do Núcleo de Patrimônio Histórico do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar. Tem início às 14 horas pela Rádio Tabajara da Paraíba AM, na frequência 1.110 KHZ. 

“Alô comunidade” é um programa da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares em parceria com a Rádio Tabajara da Paraíba AM – Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, Coletivo de Jornalistas Novos Rumos, Sociedade Cultural Posse Nova República.

Ouça em tempo real pela Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares:

Ou pelo site da Rádio Tabajara da Paraíba AM (1.110 KHZ):


sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Governo do Estado implanta projeto Eco produtivo em Salgado de São Félix




 O Projeto Eco Produtivo, que contempla agricultores familiares de assentamentos com ações que contribuem com desenvolvimento rural sustentável e o fortalecimento socioeconômico da comunidade, terá nesta quinta-feira (22) a legitimação do polo de Alagamar, em Salgado de São Félix. O projeto é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater (GU), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e Pesca (Sedap), cuja proposta é impulsionar a agricultura familiar local.
 
A programação da legitimação do projeto este mês começou no último dia 14, na comunidade Bartolomeu, onde são beneficiadas 17 famílias. No dia 15, foi a vez do Quilombolas de Pitombeira, no município de Várzea, com 65 famílias. No Assentamento Oziel Pereira, em Remígio, com 50 famílias, o lançamento foi no dia 20 e, finalizando, acontecerá nesta quinta-feira, em Alagamar, em Salgado de São Félix, onde atenderá a 350 famílias. Inicialmente, serão atendidas diretamente 482 famílias e indiretamente, um total de 2.420 pessoas.

Na comunidade de Alagamar, o lançamento do projeto também é coordenado pelo presidente da GU, Nivaldo Magalhães, contando com a participação do diretor técnico da Emater, Vlaminck Paiva Saraiva, do coordenador de operações, Alexandre Alfredo e integrantes da comunidade, de secretários municipais, de pesquisadores da Emepa, de extensionistas, de representantes de associações comunitárias rurais e Conselhos Municipais de Desenvolvimentos Rurais Sustentáveis (CMDRs), e parceiros envolvidos no projeto, como o Procase.

Como aconteceram nas demais comunidades, os agricultores se reuniram com os técnicos da GU para compartilhar experiências e traçar suas próprias metas de acordo com suas necessidades. Ao final, os técnicos perceberam que a comunidade demonstrou interesse em participar efetivamente do projeto, demonstraram empreendorismo, consciência política, aptidões para produção de fruticultura, piscicultura, apicultura, avicultura e criação de pequenos animais, além de diversas produções agrícolas, a exemplo de batata doce, inhame, feijão, milho e hortaliças.

Na comunidade de Alagamar existe área de recursos hídricos com o açude da Caipora, considerado o maior da região, que é utilizado para uso domestico e animal. A água para o consumo humano é captada das chuvas, armazenada em cisternas individuais e, em período de longas estiagens, com o uso de carro-pipa. Há também dois riachos não perenes devido à falta de chuvas e o excessivo desmatamento das matas ciliares, das queimadas. No local, existem oito poços artesianos, mas todos desativados.

A agricultura implantada na comunidade é a de subsistência, sendo predominante o cultivo de milho, feijão, macaxeira e pequenas criações (galinha, peru, caprino) e bovino. A comercialização da produção agrícola é feita em pequenas escalas, existindo um Centro de Comercialização com feira aos domingos, cuja estrutura foi adquirida pelo Projeto Cooperar.

As famílias tiveram participação efetiva na elaboração do Diagnóstico Rural Participativo, através de desenhos, números, mapas, fluxograma, matrizes, maquetes e diagramas, finalizando com a construção do plano de ação de cada comunidade.

O presidente da GU, Nivaldo Magalhães, informou que o projeto tem por objetivo buscar a sustentabilidade das áreas produtivas em assentamentos e comunidades quilombolas, colaborando para a melhoria socioeconômica e ambiental das unidades familiares. O fortalecimento do agronegócio, a preservação das nascentes, das matas ciliares e formação de agentes multiplicadores dessas ações foram propostas discutidas.