radio zumbi

domingo, 16 de outubro de 2011

Itabaiana e Juripiranga perdem eleitores para São José dos Ramos

São José dos Ramos é um município que tem poucos anos de emancipação. Antes, pertencia ao município de Pilar.


É comum o eleitor morar em uma cidade e votar em outra no Vale do Paraíba, segundo indicam dados do TSE recentemente divulgados. Apesar de absurdo, o fato de moradores de Itabaiana e Juripiranga pagarem impostos e receberem assistência nesses municípios e votarem na vizinha cidade de São José dos Ramos é considerado normal na região, conforme relato dos próprios moradores. “Eleitores de Juripiranga e Itabaiana escolherem o prefeito de São José dos Ramos é uma das muitas distorções eleitorais vistas por aqui”, comenta um morador de Itabaiana que não quis se identificar.

A situação ficou clara após a divulgação de números de eleitores nessas cidades, através da Justiça Eleitoral. Em pelo menos três municípios do Vale do Paraíba, na Zona da Mata paraibana, foi registrada pelo TSE a redução do número de eleitores em 11 anos. Itabaiana, a “Rainha do Vale”, tinha 19.894 pessoas a votar em outubro de 2000. Hoje, o eleitorado está em 19.082, o que representa uma queda na ordem de 4%.

Em Juripiranga, há 11 anos, a cidade tinha 8.518 eleitores. Um pouco mais de uma década, o contingente eleitoral oscilou para baixo, chegando a 8.301, uma diminuição de 2%. As lideranças políticas atribuem a queda à migração de eleitores para municípios próximos, como Pilar e São José dos Ramos, que tiveram um aumento no eleitorado.

FORA DO AR: MPF pede cassação da concessão da TV Correio




A Justiça Federal na Paraíba deu um prazo de 72 horas para a TV Correio se manifestar sobre as acusações feitas na Ação Civil movida pelo Ministério Público Federal.

No processo, o MPF pede, entre outras coisas, a suspensão do programa Correio Verdade, apresentado pelo radialista Samuel de Paiva Henrique (conhecido como Samuka Duarte) e a cassação da concessão da emissora, que é repetidora da Record.

Também foi solicitada uma indenização de R$ 500 mil para a adolescente cujas imagens foram exibidas indevidamente, além de pagamento de R$ 5 milhões por danos morais.

Depois de solicitar a oitiva das pessoas jurídicas interessadas do processo – MPF e TV Correio – a 3ª Vara Federal ressaltou que os autos da ação correrão em segredo de Justiça por conter gravações do programa televisivo no qual as imagens das adolescentes foram exibidas.

A indenização de R$ 500 mil à adolescente, solicitada pelo MPF, diz respeito ao uso indevido da imagem, violação da privacidade e danos morais. Como relatou o procurador Duciran Farena no processo, foram exibidas cenas reais do abuso sexual cometido em Bayeux contra uma jovem de menos de 18 anos de idade.

No processo, a acusação ressalta que “não se encontraria, no país inteiro, exemplo mais cabal de exploração da miséria humana e da sexualidade pervertida".

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

REPRESSÃO POLICIAL


Andrezza entrevista João Pacheco, Embaixador da União Européia, em visita à Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, de João Pessoa (PB) em 2009.

Militante do movimento de rádios comunitárias sofre agressão policial na Paraíba

Moradores da comunidade da Boa Vista, antiga Citex, no bairro Ernesto Geisel, em João Pessoa protestam contra os procedimentos da Polícia Militar, questionando principalmente o comportamento de policiais atuantes na área que desrespeitam frequentemente os direitos básicos do ser humano, conforme depoimento de Andrezza, militante do movimento de rádios comunitárias, participante da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares. 

Andrezza relatou que teve um primo preso por integrantes da Força Tática do 5º Batalhão da PM, acusado de envolvimento com drogas. O rapaz, menor de idade, foi torturado com um pedaço de ferro, segundo testemunhas. “A polícia invadiu a casa de minha tia, que foi acordada e levada à Delegacia sem ao menos ter a privacidade de trocar de roupa, sendo obrigada a se vestir na frente dos policiais”, disse Andrezza, acrescentando que ela mesma foi desrespeitada. “Os militares disseram que eu também fazia parte do tráfico de drogas, quando todo mundo sabe de minha vivência na comunidade como educadora social, com um trabalho de referência”. Ainda segundo Andrezza, os policiais debocharam o tempo todo, após o que levaram seu primo sem informar seu paradeiro.

Andrezza aponta a Tenente Viviane, suposta comandante da operação, conhecida pela forma desrespeitosa e autoritária com que trata a população das periferias da capital paraibana. “Anotei o número de todas as viaturas e vou pedir providências. Que polícia é essa que chega batendo e humilhando as pessoas, tendo prazer em torturar mulheres indefesas? Chega de tanta repressão”, protesta a radialista e educadora. Para ela, quem não vive nas comunidades não sabe o que de fato está acontecendo, e só vê o lado negativo por causa da forma sensacionalista com que a mídia comercial mostra essas áreas pobres. 

Mirley Jonnes, educador e ex-aluno da Casa Pequeno Davi, afirmou que encaminhou ofício para o Secretário de Segurança do Estado, notificando o fato e pedindo providências. “Particularmente acredito nas boas intenções dele, pelas interações que tivemos aqui no Roger no processo de mobilização pelo policiamento comunitário no bairro, pessoa que me transmitiu muita confiança e que certamente não comunga com esse tipo postura policia”, afirmou. Para ele, é o mínimo que o movimento social da Paraíba pode fazer, “tanto pela violação dos direitos do adolescente, como pela história e exemplo de vida e o sacerdócio de Andrezza na construção da cidadania na comunidade do CITEX”, acrescentou. 



Mestre do cinema paraibano realiza oficina no Ponto de Cultura Cantiga de Ninar

Torquato Joel (direita), com Laercinho de Aparecida, Marcélia Cartaxo, Clévia Paz e Vladimir Carvalho



O curtametragista Torquato Joel, da UFPB, ministra oficina de Roteiro Cinematográfico no Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, em Itabaiana. A oficina será realizada nos dias 13, 14 e 15 de outubro na Câmara Municipal, no horário da tarde. À noite, Torquato exibirá alguns dos seus filmes, incluindo o premiado curta-metragem “Passadouro”.

As 25 vagas da oficina estão sendo distribuídas com interessados dos municípios de Pedras de Fogo e Salgado de São Félix (3 vagas cada) e entre pessoas indicadas pelas organizações não governamentais Associação Memória Viva, Associação de Afro-brasileiros, Gayrreiros do Vale e do próprio Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, que promove o evento. Nas aulas, Torquato Joel fornecerá seus conhecimentos em princípios básicos do roteiro para cinema, incluindo temas como a narratologia, estrutura dramática, processo de criação dos roteiros de ficção e de documentário, construção de personagens e análises de filmes.

Torquato Joel é natural de Souza, Paraíba, estudou comunicação social na Universidade Federal da Paraíba e realizou estudos sobre o cinema direto no Atelier de Réalisation CinématographiqueVarennes (Paris). Alguns de seus filmes são: “O Verme na Alma” (1998), “Passadouro” (1999), “Transubstancial” (2003), “Estes” (2010).

Mais informações pelo celular 8702.0629

www.pccn.wordpress.com


domingo, 2 de outubro de 2011

Salgado de São Félix desenvolve técnicas de apicultura





A apicultura é alternativa de renda para agricultores familiares em Salgado de São Félix, com produção de mel com alto teor de pureza e bastante nutritivo, ou seja, um produto de qualidade com aceitação garantida no mercado consumidor. A apicultura é considerada uma das grandes opções para a agricultura familiar por proporcionar a geração de emprego e o aumento de renda, aproveitando a potencialidade natural do meio ambiente e sua capacidade produtiva. 
No município de Salgado de São Felix, região do Baixo Paraíba, um grupo de agricultores familiares deixou de plantar culturas como milho e feijão e está investindo na produção de mel, que vem dando lucro e melhorando a qualidade de vida dessas famílias do campo e a economia do município.

Virgínio Félix Alves é um dos agricultores que há mais tempo produz o mel na comunidade Dois Riachos. O incentivo para criar abelhas foi dado por um grupo de missionários que, ao visitar a localidade, no final da década de 80, deixou uma centrífuga e duas colmeias. Esse foi o material suficiente para Virgínio e sua família começarem a produção. De lá para cá, nunca mais pararam. Agora, na sua família, todos trabalham e vivem da renda gerada pela apicultura. A Prefeitura vem dando o incentivo possível a aos apicultores para melhor organizar a produção que já chega a 40.000 kg/litros de mel por ano. Com 44 sócios, o mel produzido na Associação de Apicultores de Salgado de São Félix é destinado, além da Paraíba, para outros estados como Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco.

Ao longo desses anos, o escritório local da Emater, em Salgado de São Felix, foi responsável pela elaboração de dezenas de projetos do Pronaf do Banco do Nordeste. O dinheiro financiado ajudou na aquisição de equipamentos e materiais para aumentar a produção como colmeias, melgueiras, máquina de sachê e casa de extração de mel. 

O técnico da Emater local, o zootecnista Paulo Emílio Souza, explica que a assistência feita pela empresa é muito ampla. “Uma vez por semana os integrantes da associação recebem a visita de um técnico do escritório que faz a revisão, orienta sobre a manutenção dos apiários e, recentemente, iniciamos um georefenciamento desses apiários a fim de não deixá-los tão próximos. Dessa forma, temos um aumento na produção”, disse. O produto líquido já faz parte do cardápio das escolas municipais e estaduais de Salgado de São Félix. Mas a novidade é que, este ano, as mulheres dos integrantes da Associação estão diversificando a produção com a introdução na alimentação escolar de produtos como pães, biscoitos e bolos à base do mel.