radio zumbi

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Itabaiana tem a décima maior taxa de homicídios da Paraíba


Relatório publicado pelo jornal Correio da Paraíba deste domingo (28) aponta que a cidade de Itabaiana apresenta taxa de homicídio de 18,2, o que coloca o município em 10º lugar na ocorrência desse tipo de crime. Com essa taxa, Itabaiana ficou à frente de, por exemplo, cidades como Cajazeiras, Sousa e Piancó, indicando que ser populosa não é regra para ser mais violenta. Assim, a sensação de insegurança permeia por todos os recantos do Estado.

As primeiras cinco colocadas no ranking são João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sapé e Guarabira, A interiorização da violência tem assustado moradores de cidades que até pouco tempo eram consideradas pacatas, e agora mais parecem cenários de guerra dos cangaceiros modernos. O tráfico de drogas é responsável pela maioria dos confrontos e mortes violentas.

Verifica-se pelos números que o aumento da criminalidade vem ocorrendo de forma assustadora. Na microrregião de João Pessoa, a taxa de assassinatos é de 64,1, considerada a 15ª mais violenta do país.

Para o delegado da Polícia Civil Lamartine Lacerda, a tendência à interiorização da violência é gerada porque as forças policiais existem em número considerado menor do que as forças do ‘estado paralelo’. Nas pequenas cidades, a pobreza da população faz com que seja mais fácil o aliciamento para o crime. “A guerra pelo poder, por disputas pelo tráfico, aumenta as estatísticas de violência nesses municípios”, ressaltou o delegado.


terça-feira, 30 de agosto de 2016

Concurso na Prefeitura de Pilar oferece salários de até R$ 2.005


Continuam abertas até o dia 11 de setembro próximo as inscrições para preenchimento de 82 vagas e cadastro de reserva na Prefeitura Municipal de Pilar, a 55 km de João Pessoa.
O certame é para todos os níveis de escolaridade e a prefeitura oferece salários que vão de R$ 880 a R$ 2.005,24. As inscrições só podem ser feita através do site da organizadora do concurso.
A taxa, dependendo do cargo, varia entre R$ 70 para os de nível fundamental, R$ 86 para os níveis médio e técnico e R$ 96 para os de nível superior.
De acordo com o edital, o maior número de vagas é o de professor A, com 11 vagas, sendo duas para pessoas com deficiência. 
A jornada de trabalho para a maioria dos cargos é de 40 horas semanais.
As provas estão previstas para acontecer no dia 16 de outubro. 

O certame tem validade de dois anos e poderá ser prorrogado, uma vez, por período de também dois anos.

domingo, 28 de agosto de 2016

Pilar, Itabaiana e Juripiranga estão entre as cidades mais eficientes da Paraíba, diz Folha de São Paulo

Pilar está entre as três cidades do vale do Paraíba incluídas na pesquisa da Folha

Pilar, Itabaiana e Juripiranga estão entre as cidades paraibanas consideradas eficientes, que receberam nota igual ou superior a 0,500 no Ranking de Eficiência dos Municípios (REM) da Folha de São Paulo. O município de Itabaiana encontra-se na posição 555 do ranking com 0,535, enquanto Juripiranga é o 633º colocado com 0,530 pontos. Pilar aparece na 1.440ª posição com 0,507 pontos. Na Paraíba, a primeira cidade melhor ranqueada é Guarabira, na 39ª posição. A pesquisa mostra as cidades que oferecem mais saúde e educação com menos gastos de recursos públicos.

Na opinião da economiária Renali Oliveira, a pesquisa passa longe da realidade. “A Folha é conhecida por forjar dados de pesquisas, e esse deve ser um mundo paralelo fora do real, pois todos que aqui vivem sabem que os gastos em educação e saúde em Itabaiana são mínimos e nem o mínimo está sendo feito”, disse ela.

Para o professor Murilo Barbosa, de Pilar, a posição do município não é das piores, “mas precisamos melhorar muito na área de saúde e em outros setores”, opinou.
O Ranking de Eficiência de Municípios - Folha leva em conta indicadores de saúde, educação e saneamento para calcular a eficiência da gestão e apresenta dados de 5.281 municípios, ou 95% do total de 5.569.

Numa escala de 0 a 1, só 24% das cidades ultrapassam 0,50 e, por isso, podem ser consideradas eficientes. Pesquisa nacional do Datafolha mostra que só 26% dos brasileiros aprovam a gestão de suas prefeituras.

No topo do ranking está Cachoeira da Prata (MG), com 3.727 habitantes e heranças deixadas pelo passado industrial forte. Na rabeira estão cidades do Norte, Centro-Oeste e o Rio Grande do Sul.

O levantamento revela que nos 5% menos eficientes, com índice de até 0,30, o funcionalismo cresceu 67% entre 2004 e 2014, em média. A população aumentou 12% no período.


Em crise, os municípios espelham também alguns dos principais desafios do país, como o crescimento do gasto público, a dependência de verbas federais, a perda da dinâmica da indústria e a ascensão do agronegócio.

Didi Silveira é a candidata mais rica em Mogeiro


Dos que disputam a prefeitura de Mogeiro em 2016, no vale do Paraíba, a candidata Didi foi a que declarou ter mais bens ao Tribunal Regional Eleitoral. Com patrimônio declarado de R$ 241 mil reais, Margarida Maria Silveira Gomes, a Didi, da coligação “Mogeiro em boas mãos”, supera em mais de dez vezes a quantia declarada por Genival Alves de Luna (PPS), o Gabriel Luna que é taxista, natural de Itabaiana e também o mais jovem candidato, com apenas 28 anos de idade. Ele diz ter apenas R$ 18 mil reais de patrimônio.

Depois de Geniva, o candidato que aparece com menor valor patrimonial declarado é Zé Neto, da coligação “Força da mudança”, com R$ 56 mil reais em bens.  Como o segundo mais rico na disputa, aparece José Alberto Ferreira, 32 anos, da coligação “Por amor a Mogeiro” encabeçada pelo PMN. O empresário disse possuir patrimônio no valor estimado de R$ 185.500,00.


Pela legislação eleitoral, todos os candidatos são obrigados a cadastrar a declaração total de bens no registro da candidatura, mas essas informações são atualizadas diariamente pelo TSE e podem sofrer modificações. 

sábado, 27 de agosto de 2016

Academia de Cordel cria troféu “Zé da luz” para homenagear artistas paraibanos

A Academia de Cordel do Vale do Paraíba, com o respaldo da Sociedade Amigos da Rainha do Vale, em Itabaiana, resolve criar o Troféu Zé da Luz, para homenagear um dos maiores vates da poesia “matuta”, bem como preservar e difundir a arte poética do Estado. 

O concurso premiará aqueles que, no decorrer de cada ano, forem os mais destacados poetas, declamadores e apologistas. Como apologista se entende a pessoa que admira, protege e paraninfa artistas populares, notadamente na área da poesia.

Neste ano de 2016, o primeiro indicado é o poeta Merlânio Maia, natural de Itaporanga, sertão da Paraíba, dedicado desde menino à poética nordestina, atuando em cantorias e shows de declamações, sendo compositor de diversas canções “com o cheiro e a cor de sua terra amada”. Como artista, Merlânio Maia canta, declama, toca viola e escreve cordéis.

O Troféu Zé da Luz será entregue a Merlânio Maia no dia 10 de setembro, em Pilar, terra do poeta Manoel Xudu, durante o espetáculo “Cordel do fogo apagado”, da Academia de Cordel do Vale do Paraíba. Além de Merlânio, serão homenageados o declamador Iponax Vila Nova e Mariana Teles, filha do repentista violeiro Valdir Teles. No mesmo evento, serão empossados os poetas Bebé de Natércio e Jandira Lucena. 

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Candidato do PSOL é o que apresenta maior patrimônio em Pilar


Dos que disputam a prefeitura de Pilar (PB), o candidato que declarou ter mais recursos financeiros ao Tribunal Superior Eleitoral foi Valdemar Matias de Sousa Filho, do PSOL. Com bens estimados em R$ 199 mil reais, o candidato supera a quantia declarara pelo que consta com o segundo maior valor, o médico Benício Neto (PSB) que registrou R$ 125 mil. O candidato Eduardo José Rodrigues da Silva (PP) disse ter como patrimônio bens no valor de R$ 81.572 reais.
Pela legislação eleitoral, os candidatos são obrigados a cadastrar a declaração total de bens no registro da candidatura, mas essas informações são atualizadas diariamente pelo TCE e podem sofrer modificações.

A legislação eleitoral é pouco específica em relação às regras que os candidatos devem seguir na hora de declarar seus bens. O Código Eleitoral de 1965 determinou que o registro de candidatura só poderia acontecer com a apresentação de uma declaração de bens, incluindo “a oprigem e as mutações patrimoniais”. 

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Apesar de ter a maioria do eleitorado, mulheres só representam 30,4% das candidaturas na PB


Apesar de o Estado ter 1.524.145 mulheres aptas ao voto e 1.365.535 homens na mesma condição –, o eleitorado feminino na Paraíba não tem mais representatividade que o masculino, no que diz respeito ao número de candidaturas. Concorrem no Estado a mandatos de prefeita, vice-prefeita e vereadora 3.565 mulheres, o que representa 30,40% do total de candidaturas, enquanto os homens somam 8.159 na disputa por mandatos eletivos, ou 69,60%.

Nas chapas majoritárias, apenas 88 mulheres – 15,87% do total – disputam mandato de prefeita na Paraíba, quantidade bem inferior ao número de homens: 466 candidaturas do sexo masculino, o que significa 84,11%, de acordo com dados disponibilizados pela Justiça Eleitoral. Nas eleições proporcionais, a desproporção também se repete: são 3.374 candidatas a vereadoras e 7.242 disputando uma vaga nas Câmaras Municipais, representando um percentual, respectivamente, de 31,78% e 68,22%.

Juntando os dois maiores colégios eleitorais da Paraíba, João Pessoa e Campina Grande, temos apenas uma candidata a prefeita, Cida Ramos (PSB), na capital, e uma candidata a vice-prefeita, Rejane Maria (PSOL), em Campina Grande.

Igualdade dos gêneros - Diferentemente do que ocorre na maioria das cidades brasileiras, o município paraibano de Bernardino Batista tem a mesma quantidade de homens e mulheres aptas ao voto nas eleições de outubro: são 1.423 eleitores mulheres e igual quantidade de eleitores homens.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ITABAIANA

Sem receber vencimentos, vice-prefeito aciona gestor na Justiça

O vice-prefeito de Itabaiana, Antoniel Carlos (foto), confirmou que entrará com ação na Justiça para receber vencimentos relativos ao cargo, não pagos pelo prefeito Antonio Carlos Melo Júnior. No caso, trata-se de uma ação ordinária específica para receber os pagamentos retroativos, sem a intervenção do Ministério Público, pois o caso não aponta caráter social que demande a presença do MP.

O vice-prefeito deverá impetrar Mandado de Segurança, segundo informou um advogado ao TV. “Se o agente público deixa de receber vencimentos, parciais ou integrais, por ato abusivo do poder público, o mandado de segurança pode garantir o pagamento, porque a autoridade coatora, no ato de esquivar-se de sua obrigação, não efetuando o pagamento ao servidor, omite-se ante as determinações legais, afrontando diversos princípios constitucionais, incorrendo, portanto, em patente ilegalidade”, esclareceu. Para ele, trata-se de abuso de poder que viola os direitos constitucionais do vice-prefeito.

Ouvido pela reportagem, servidor público de Itabaiana acha que, por desavenças pessoais, o vice-prefeito vai buscar seus direitos, mas “esquece dos demais servidores que também estão sem receber”.

O assessor de comunicação da Prefeitura, Alyf Santos, informou que o prefeito estava cumprindo agenda administrativa e não poderia, no momento, fornecer sua versão sobre o assunto.  



terça-feira, 23 de agosto de 2016

Portal de Ingá retransmite programação da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares


A Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, de João Pessoa, aumentou sua rede de emissoras e sites que retransmitem ou reproduzem sua programação. O portal “Blog do Vavá da Luz”, de Ingá, passa a ter link para a Zumbi, numa cortesia de Walter Mário da Luz, o Vavá da Luz, poeta e blogueiro, responsável pelo blog mais acessado da região do agreste da Paraíba. (www.blogdovavadaluz.com)

“Agradecemos ao amigo Vavá da Luz pela gentileza de repercutir nosso trabalho”, disse Dalmo Oliveira, produtor da emissora web. Conforme Fábio Mozart, um dos programadores, os conteúdos da Rádio Zumbi são extensamente focados na comunicação comunitária. “Em nossa grade de programação, destacamos o “Multimistura”, uma experiência de debate descontraído que é a cara de Vavá”, acrescentou.

O blog do Tribuna do Vale é um dos que retransmitem a Rádio Zumbi. 


PELO CELULAR

A Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares tem vários parceiros no mundo da internet, entre eles o portal de notícias DiárioPB, cujo responsável criou aplicativo para tornar possível a recepção da Zumbi no celular ou tablete.

Google Play – Smartphone que opera com androide – Aplicativo disponível para você sintonizar a Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares em seu celular. 

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Ministério Público pede impugnação de candidatura em chapa do PMDB de Ingá

O Ministério Público Estadual, através da Promotora Pública Cláudia Cabral, entrou com ação de impugnação e indeferimento de registro da candidatura do ex-prefeito Luiz Carlos Monteiro da Silva (foto), o Lula de Zé Grande, como é conhecido, que seria candidato a vice-prefeito na chapa do empresário Edilson Silva Rodrigues, do PMDB, mais conhecido como Edilson Esporte.  Conforme o blog de Vavá da Luz, Lula é inelegível por ser responsável por uma série de irregularidades administrativas comprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado e corroboradas pela Câmara de Vereadores de Ingá, razões pelas quais foi condenado.
Lula de Zé Grande tem vasto currículo na política local, onde tentava concorrer pela quinta vez consecutiva à chapa majoritária, três para prefeito e duas para vice, além de já ter sido vereador e presidente da Câmara Municipal. O ex-prefeito garantia que iria superar os possíveis problemas na justiça e seria candidato mais uma vez, no entanto, foi pego pela Lei da Ficha Limpa.
No ano passado, Luis Carlos Monteiro da Silva (PMDB), foi condenado na ação penal nº 0000804-02.2013.815,0201, movida pelo Ministério Público que o acusa de apropriação indébita no valor de R$ 33.512,05, valor este que deveria estar no caixa da prefeitura quando da transição do poder para a nova gestão, conforme consta nas informações prestadas pelo próprio réu, então prefeito, ao Tribunal de Contas do Estado, sendo que o cofre foi encontrado vazio de acordo com as testemunhas ouvidas durante o processo.



domingo, 21 de agosto de 2016

Ponto de Cultura realiza projeto para divulgar patrimônio histórico em Itabaiana

Grupo de estudantes na estação velha de Itabaiana

O Ponto de Cultura Cantiga de Ninar realizou sábado, (20) a primeira edição do Projeto “Hoje o turista sou eu”, que consiste em uma aula de campo em que os alunos fazem um tour no município, conhecendo e estudando seus pontos turísticos e história. A primeira turma foi do Colégio Nossa Senhora da Conceição, alunos do 8º ano, com apoio das professoras Chintia Cecília e Maria José Leite. “Os alunos acolheram de forma extremamente receptiva e se deslumbraram com os encantos de Itabaiana”, disse Renaly Oliveira, da coordenação do projeto.

Para Edglês Gonçalves, do Ponto de Cultura, a iniciativa vai ao encontro da proposta de valorização do patrimônio histórico local a partir do conhecimento. “Ninguém dá valor àquilo que não conhece. Só iremos preservar a nossa memória se cultivarmos o gosto pela nossa cultura. E isso precisa ser incentivado desde os primeiros anos da escola”, afirmou ele.

Itabaiana tem um rico patrimônio histórico que está cada vez mais sendo delapidado. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) denomina como patrimônio cultural todas as expressões criadas pela sociedade que, com o tempo, são agregadas às das gerações anteriores. Esse conceito, hoje, se estende a imóveis particulares, trechos urbanos e até ambientes naturais de importância paisagística, além de imagens, utensílios e outros bens móveis. A própria comunidade pode indicar como classificar seus bens, de acordo com o que julgar representativo. “Queremos que as novas gerações tomem consciência disso”, afirmou Renaly.

Alunos visitam a igreja de Guarita

Ponto de Cultura realiza projeto para divulgar patrimônio cultural em Itabaiana

Grupo de estudantes na estação velha de Itabaiana

O Ponto de Cultura Cantiga de Ninar realizou sábado, (20) a primeira edição do Projeto “Hoje o turista sou eu”, que consiste em uma aula de campo em que os alunos fazem um tour no município, conhecendo e estudando seus pontos turísticos e história. A primeira turma foi do Colégio Nossa Senhora da Conceição, alunos do 8º ano, com apoio das professoras Chintia Cecília e Maria José Leite. “Os alunos acolheram de forma extremamente receptiva e se deslumbraram com os encantos de Itabaiana”, disse Renaly Oliveira, da coordenação do projeto.

Para Edglês Gonçalves, do Ponto de Cultura, a iniciativa vai ao encontro da proposta de valorização do patrimônio histórico local a partir do conhecimento. “Ninguém dá valor àquilo que não conhece. Só iremos preservar a nossa memória se cultivarmos o gosto pela nossa cultura. E isso precisa ser incentivado desde os primeiros anos da escola”, afirmou ele.

Itabaiana tem um rico patrimônio histórico que está cada vez mais sendo delapidado. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) denomina como patrimônio cultural todas as expressões criadas pela sociedade que, com o tempo, são agregadas às das gerações anteriores. Esse conceito, hoje, se estende a imóveis particulares, trechos urbanos e até ambientes naturais de importância paisagística, além de imagens, utensílios e outros bens móveis. A própria comunidade pode indicar como classificar seus bens, de acordo com o que julgar representativo. “Queremos que as novas gerações tomem consciência disso”, afirmou Renaly.

Alunos visitam a igreja de Guarita

sábado, 20 de agosto de 2016

Vereador deve ganhar bem para ter independência, diz candidato em Pilar

O candidato a vereador Antonio Costta, de Pilar, não comunga com a corrente de opinião que defende salário mínimo como remuneração dos parlamentares mirins nas pequenas cidades. Para ele, vereador mal remunerado fica fragilizado e sem independência para cobrar e fiscalizar as ações do Poder Executivo. “Acho que o foco da discussão não deve ser esse, mas como os vereadores exercerão seus mandatos. E por que não lutar para reduzir os salários dos deputados e senadores, evitando o efeito cascata?”, indaga Costta.

A candidata Danielly Gomes, também de Pilar, entende que os vereadores devem receber o mesmo teto do trabalhador comum. “Eu sempre sobrevivi com o salário básico, muitas vezes nem isso eu tive, e acho que, se o salário de vereador não fosse tão atraente, somente as pessoas realmente vocacionadas para o bem comum teriam disposição para se candidatar”, argumentou. Em off, candidato em Itabaiana ironizou: “Vereador é o paraíso na terra, porque ganha um montão de dinheiro e nem precisa ir trabalhar.”

Renan Palmeira, candidato a vereador na capital do Estado, afirmou que é favorável à redução dos salários dos parlamentares. Para ele, o vereador ou vereadora devem manter suas profissões e não assumir cargo público temporário como cargo de carreira.

O eleitor Marconi Lucena, de Itabaiana, concorda com a proposta de se pagar apenas salário mínimo para vereadores de cidades pequenas. “Se isso já fosse lei, eu teria me candidatado”, disse ele.


Os vereadores da Câmara de Itabaiana custam ao bolso do contribuinte R$ 576 mil reais por ano. Além do salário de R$ 4 mil, recebem verba de gabinete para contratar assessores parlamentares e outras cotas para exercício da atividade parlamentar. 

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Quase 250 candidatos na Paraíba só sabem ler e escrever

Ter um mínimo grau de instrução é fundamental para o exercício do cargo político, seja para o cargo de prefeito, vice-prefeito ou vereador. Na Paraíba, para as eleições deste ano, pelo menos 247 candidatos declararam à Justiça Eleitoral que sabem apenas “ler e escrever”. No país são quase 10 mil pessoas disputando um cargo eletivo, sem o mínimo domínio da língua portuguesa.
Dos 247 candidatos registrados, pelo menos quatro disputam o cargo de prefeito. Além de Edgar Gama (PSB), que disputa a prefeitura de Belém, também declararam saber apenas ler e escrever o candidato a prefeito em Casserengue, Dinda (PSDB); em Caturité, Zé João (PSD); e em Mato Grosso, Doca (PMDB).
A coordenadora do Departamento de Pedagogia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Edilene da Silva Santos, disse que o mais grave é que essas pessoas que declararam à Justiça Eleitoral ao registrar a sua candidatura como que sabem apenas ler escrever significa que não passaram pela escola formal. “Aqueles que cursaram ao menos um ano do ensino fundamental devem ter se declarado dessa forma”, afirma.

No estado, um total de 1.324 têm o ensino fundamental incompleto. Ainda assim, explica Edilene Santos, as informações são imprecisas, já que há correntes de estudo que entendem que mesmo com o ensino fundamental completo a pessoa pode ser declarada analfabeto funcional, se não tiver o domínio mínimo de português e de maremática básica. “Até com diploma de alfabetizado, se não souber fazer uma interpretação do livro é considerado um analfabeto funcional”, completou.

Transcrito do Blog do Vavá da Luz

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Apenas 110 cidades têm incentivo à cultura na Paraíba

Entre os 223 municípios da Paraíba, apenas 110 deles (49,3%) possuem políticas municipais de incentivo e políticas públicas voltadas para a cultura. Entre estes, apenas oito deles têm conselho municipal de preservação do patrimônio cultural ou similar. Os dados são de um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referente ao ano de 2014, que foi divulgado ontem (17).

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) mostra também que apenas 17 municípios do estado possuem plano de cultura e, na época, outros 57 estavam elaborando. Os dados referentes ao incentivo cultural direto mostram que apenas 71 cidades paraibanas deram algum tipo de incentivo a filmes, 187 cidades apoiaram ou promoveram iniciativa cultural para diversidade social, 152 desenvolveram programa ou ação para promover a leitura e 135 municípios têm algum programa ou ação de apoio ao turismo cultural Em termos de estrutura, os dados da PNAD sobre a relação dos municípios e as políticas públicas voltadas para cultura apontam que 192 das 223 cidades têm estruturas de cultura (86%), nestes locais 1.205 pessoas estavam empregadas em municípios paraibanos na área de cultura, mas, apenas 43 dessas cidades oferecem cursos de capacitação aos empregados. Lan House Sendo considerado um dos equipamentos culturais disponíveis para consultas, o mais comum na Paraíba é a Lan House. A modalidade de comércio está presente em 213 dos 223 municípios da Paraíba, fazendo do estado o segundo no Nordeste com mais espaços do tipo, ficando atrás somente da Bahia.



Redação PBAgora com IBGE

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

PT junta-se a partidos do “golpe” e apoia Didi para retornar à prefeitura de Mogeiro

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Mogeiro decidiu fazer parte da coligação que está apoiando a candidatura majoritária de Margarida Silveira (foto), a Didi (PSD), que pretende retornar ao cargo de prefeita da cidade. Na coligação, além do PT, estão PDT, PTB, DEM, PMB, PSB e PSD. Além do partido da candidata majoritária, o DEM, PTB e PSD apoiam o atual e interino Presidente da República, Michel Temer, que afastou a petista Dilma Roussef.

Além de Didi, disputam a prefeitura de Mogeiro na eleição municipal de 2016 os candidatos Gabriel Luna (PPS), Alberto Ferreira (PR) e Zé Neto (PSC).
O Presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse que a legenda não apoiará, nas eleições municipais, candidatos que se declararam publicamente a favor do impeachment, mas o PT não proibiu, porém, alianças regionais com o PMDB e outras legendas aliadas a Temer, contanto que os quadros não tenham apoiado publicamente o processo de impedimento.

— A definição é que vamos priorizar alianças com PCdoB e PDT. As outras, vamos examinar caso a caso. Mas se alguém dos outros partidos quiser participar conosco numa chapa na eleição municipal, que não tenha apoiado o impeachment publicamente, desde que adote nossos programas, não há nenhuma objeção. Até porque a chapa será referendada pelo partido, não há risco de uma chapa torta, e acho que nossos eleitores vão entender a necessidade de aumentar nossos quadros — disse o dirigente petista.

Didi foi prefeita de Mogeiro por três vezes e já ocupou a vice-prefeitura por um mandato. Ela é filha do ex-prefeito Walfrido Silveira, que desempenhou a função por dois mandatos. A última eleição de Didi foi disputada em 2004, quando ela obteve mais de 86% dos votos válidos, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE).


A pequena Mogeiro tem 13.349 habitantes e área de 218 km². Está localizada no polígono das secas. Distante  113km de João Pessoa, a cidade tem Índice de Desenvolvimento Humano de 0,574, considerado baixo pelas Nações Unidas.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Cidades do vale do Paraíba são convocadas para debater situação da barragem de Acauã


A barragem Acauã, localizada no município de Itatuba, na região Agreste, está com apenas 11,6% da capacidade. Preocupada com o baixo nível do reservatório, a direção da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) convidou representantes de oito municípios para discutir um Plano de Alocação de Água. A reunião será realizada nesta quarta-feira (17), às 8h30, no ginásio de esporte da cidade Salgado de São Félix. 
O açude Argemiro de Figueiredo, conhecido com Acauã, tem capacidade para 253 milhões de metros cúbicos de água, mas atualmente está com pouco mais de 29 milhões. “Vamos avaliar a demanda diante da atual situação hídrica da barragem. A ideia é gerenciar o uso da melhor maneira de modo a garantir o abastecimento humano e animal. Também vamos ver como poderemos atender as demandas da agricultura irrigada e familiar, além da piscicultura e carcinicultura”, adiantou o diretor-presidente da Aesa, João Fernandes da Silva. 
Além das prefeituras de Salgado de São Félix e Itatuba, foram convidados representantes das cidades de Pilar, Mogeiro, Juripiranga, São José dos Ramos, Itabaiana e São Miguel de Taipu. Também integram a lista, membros do Comitê de Bacias Hidrográficas da Paraíba, servidores do Ministério Público Estadual, Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater), Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca da Paraíba (Sedap) e Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag).

Secom-PB 


domingo, 14 de agosto de 2016

Irmão do padre Djacy Brasileiro monta escola beneficente de cultura musical em Itabaiana


O músico saxofonista Fran Brasileiro fundou a Associação Musical Lúcio Teles em Itabaiana, com o objetivo de transmitir cultura musical para jovens carentes, uma entidade sem fins lucrativos que pretende sobreviver com ajuda de amigos e instituições do terceiro setor.

Fran Brasileiro
Fran Brasileiro é maçom e trabalha no Departamento de Trânsito da Paraíba. Transferido para Itabaiana, ficou surpreso ao saber que, na cidade de um dos maiores músicos do mundo, Sivuca, não existia uma escola musical para iniciar rapazes e moças no mundo da musicalidade, desde que a oficina de música do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar foi fechada, por ter aquela entidade ficado sem espaço físico. Amante da música, Fran Brasileiro alugou uma casa e montou a Associação Musical Lúcio Teles, que pretende trabalhar de forma colaborativa para iniciação musical da juventude.

Fran Brasileiro é irmão do Padre Djacy Brasileiro, da cidade de Pedra Branca, no sertão paraibano, que ficou conhecido no país pelas ações de protesto, pedindo socorro para os sertanejos que são vítimas da seca. Em 2007, Djacy protestou em Brasília, diante do Palácio do Planalto, portando uma cruz feita com latas vazias, usadas pelos sertanejos para carregar água.

O maestro Josino Mendes, de Itabaiana, parabenizou Fran Brasileiro pela iniciativa. Para ele, com a música se consegue resgatar aspectos culturais da região, fortalecendo a autoestima de quem aprende e ampliando os vínculos familiares dos alunos inseridos no projeto.

Paraíba teve FPM de julho bloqueado em 65 municípios



A grave crise financeira que assola as cidades brasileiras fica ainda pior quando elas têm o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) retido. Em todo o mês de julho, 65 municípios tiveram o recurso bloqueado, sendo 43 somente no primeiro decêndio. A retenção se deu por conta de dívidas previdenciárias. Os dados são da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e mostram que a Paraíba foi o 2º Estado do Nordeste onde mais cidades sofreram com essa retenção de verbas federais no primeiro decêndio.

A realidade se mantém ao longo do mês. No segundo decêndio de julho, 21 registraram o bloqueio total do repasse. O terceiro e último decêndio do mês, registra números menos expressivos, quando apenas uma localidade teve esse problema

Segundo apurou o Correio Online, o estudo da CNM aponta que, em fevereiro de 2009, o valor da dívida dos Municípios brasileiros somava R$ 22 bilhões. Em dezembro de 2011, o montante saltou para R$ 62 bilhões, conforme dados da Receita Federal, havendo um crescimento de 181% em pouco menos de três anos.

Mais um ponto importante é o crescimento da retenção do FPM ao longo dos anos. Em 2013, por exemplo, os Municípios receberiam R$ 41,5 bilhões do Fundo. Desse total, R$ 3,7 bilhões ficaram retidos por dívidas previdenciárias, o equivalente a 9,09% do repasse previsto. Nos dois anos seguintes, o percentual de retenção diminuiu para 8% e 8,89%, respectivamente, mas volta a subir neste ano. Em 2016, dos R$ 48,8 bilhões referentes ao FPM, R$ 4,53 foram descontados, totalizando 9,36% do valor a ser recebido.


Sem saída

O material faz ainda um comparativo dos bloqueios a nível nacional. Levando em conta apenas o primeiro decêndio de julho deste ano, São Paulo foi o Estado que registrou mais descontos integrais: ao todo, foram 129 Municípios nessa situação. Em segundo lugar, aparece Minas Gerais, com 99 cidades que não receberam nada de FPM. O Tocantins ocupa a terceira posição do ranking. No Estado, 64 Municípios tiveram todo o recurso bloqueado.


Encontro de contas

A CNM luta por um encontro de contas com a Previdência, que atenda de forma irrestrita a todos os municípios brasileiros. A entidade tem tentado levar a discussão adiante no Congresso Nacional, para que haja uma renegociação da dívida nas mesmas condições oferecidas aos Estados.

sábado, 13 de agosto de 2016

História de revolucionária itabaianense será contada em livro

Netas de Leonilla Almeida confirmam participação na entrega do Prêmio em 2017


Em novembro de 1935 estourou em Natal (RN) um levante militar em nome da Aliança Nacional Libertadora. Em seguida ao movimento em Natal, que obteve apoio popular e chegou a assumir o controle da cidade por quatro dias, foram deflagrados levantes em Recife e no Rio de Janeiro. O casal Ephifânio e Leonilla estiveram na linha de frente do movimento em Natal.

Flávia Guilhermino e Alessandra Guilhermino são netas da ativista política Leonilla Almeida, que dá nome ao Prêmio entregue anualmente pela Sociedade Amigos da Rainha do Vale do Paraíba a mulheres que tenham se destacado em defesa da cultura e dos direitos humanos na Paraíba. O avô delas, Ephifânio Guilhermino, também foi um revolucionário. O casal foi preso em 1935 em Natal, durante a chamada Intentona Comunista, e mantido no presídio Cândido Mendes, da Ilha Grande, no Rio de Janeiro, durante alguns anos. Neste presídio, tiveram contato com o escritor Graciliano Ramos, que escreveu sobre eles no livro “Memórias do cárcere”.

As netas de Leonilla e Ephifânio manifestaram desejo de participar da festa de entrega do Prêmio Leonilla Almeida em 2017, em local ainda ser definido, segundo a Comissão Organizadora. “Nossa memória sobre o passado de nossos avós está escassa. Dois dos filhos dela já faleceram e nossa tia avó, que sabe muitas coisas do passado de lutas deles, está com 90 anos”, disse Alessandra, que mora em São Paulo. 

O jornalista Fábio Mozart está escrevendo livro sobre Leonilla Almeida, para ser lançado por ocasião da entrega do Prêmio em 2017. “Tenho alguns depoimentos e muitos documentos que me foram disponibilizados por Antonio Felix Guilhermino, um dos filhos de Leonilla, que morava em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, incluindo Certidão de Casamento no Cartório Santiago Bandeira em 1927, ela então com 17 anos. Os pais de Leonilla não aceitaram a união devido ao fato de Ephifânio ser negro. Por este motivo, Leonilla abandonou a casa dos pais, no distrito de Campo Grande, e foi morar em Natal, onde se envolveu nas lutas políticas da época”, narrou Mozart. O militante comunista Ephifânio Guilhermino e sua esposa Leonilla continuaram na luta, tendo ele sido denunciado em 1968 por “agitação que colocava em risco a segurança nacional”, segundo consta em Certidão da Agência Brasileira de Inteligência.

Abdicando de sua condição social e sua herança cultural, Leonilla Almeida saiu de casa ainda novinha, na conservadora Itabaiana dos anos 30, para se casar com um homem negro, pobre e comunista, no Rio Grande do Norte. O velho Antonio Félix Cardoso, pai da jovem Leonilla, jamais perdoou a violação de um preceito da época: mulher é para ficar em casa e casar com quem a família consentir. Ela não só casou com um homem de cor, para desesperação da família, como assumiu sua ideologia socialista e “marchou na sua luta”, como diria muitos anos depois outra mulher combatente, Elizabeth Teixeira, esposa de Pedro Teixeira, mártir na luta dos trabalhadores na Paraíba. 

Por ter feito parte do levante comunista de 1935, Leonilla Almeida e seu esposo, Ephifânio, foram presos e torturados pelo governo de Getúlio Vargas. A revolta popular foi sufocada, muitos foram mortos. Centenas foram presos e supliciados nas masmorras. Entre essas pessoas, Leonilla e Ephifânio. Foram para a Ilha Grande, onde conheceram o escritor alagoano Graciliano Ramos, preso também por seu envolvimento político. Graciliano nunca foi formalmente acusado. Passou meses na cadeia e lá começou a escrever seu romance “Memórias do cárcere”, onde descreve essa figura, Leonilla Almeida, símbolo da coragem da mulher paraibana. 


Fábio Mozart escreveu sobre a saga de Leonilla e seu marido no livro “História de Itabaiana em versos e algumas crônicas reais”. “Pretendo realizar um trabalho de pesquisa mais completo neste livro, incluindo depoimentos de outra neta de Leonilla, Vivian Pinto, com quem entrei em contato há alguns anos”, disse ele. Na verdade, a História registra duas heroínas itabaianenses; uma delas é Maria Joaquina de Santana, mulher do Capitão Félix Antonio, símbolo da valentia da mulher paraibana na Confederação do Equador. Nessa revolução, deu-se a batalha do Riacho das Pedras em Itabaiana, no ano de 1824, entre brasileiros separatistas e republicanos contra os prepostos de Portugal. A outra é Leonilla Almeida, nascida no distrito de Campo Grande. “Leonilla saiu de Itabaiana para se tornar um personagem da literatura universal, com sua luta plena de entusiasmo pelos melhores ideais de justiça e igualdade”, escreve Mozart.


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Poetas da Academia de Cordel abrem sarau no Agosto das Letras nesta sexta-feira (12)

Fábio Mozart e Thiago Alves apresentam seus trabalhos poéticos no Agosto das Letras

Os poetas Thiago Alves e Fábio Mozart, de Itabaiana, sócios fundadores da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, serão declamadores no sarau de cordéis promovido pelo projeto Agosto das Letras, hoje, sexta-feria, 12, na Praça do Povo do Espaço Cultural, em João Pessoa.
O Agosto das Letras 2016 é um evento dedicado à leitura que acontece no Espaço Cultural, em João Pessoa. A programação acontece até 14 de agosto com oficinas, palestras, feiras, lançamentos de livros, cinema, música, dança, teatro, mesas-redondas, contação de histórias para crianças, entre outras atividades de interação com público, escritores e editoras, voltadas aos variados segmentos da área.


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

ITABAIANA

Escola Estadual desenvolve projeto sobre músicos e escritores locais

A Escola Estadual João Fagundes de Oliveira, em Itabaiana, está desenvolvendo o projeto “Escola de valor”, proposta coletiva de aprendizagem multidisciplinar no processo de construção de uma educação de qualidade social. Uma das ações do projeto trata de música regional, tendo à frente o professor Charles Michel, como uma das atividades coletivas de aprendizagem multidisciplinar para a melhoria dos índices de proficiência do ensino e aprendizagem, projetando uma educação integral e de qualidade social, voltada aos estudantes e comunidade escolar.

Outra ação do projeto visa construir um trabalho sobre escritores itabaianenses. O professor Charles Michel entrou em contato com o jornalista Fábio Mozart para fazer parte das pesquisas na área. “Fiquei responsável de montar uma súmula tratando do escritor Fábio Mozart, e será uma grande honra conhecer e divulgar o trabalho desse autor itabaianense”, afirmou ele.

Sobre música, Michel também trabalhará com canções de raiz, onde também pretende contar com o apoio de Mozart. “Tenho em mãos uma série de CDs que Fábio Mozart repassou para a professora Bia, por meio do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, e espero a cooperação dele para formatar o projeto a partir deste acervo”, adiantou Michel.

A Paraíba é o único estado do país a criar uma metodologia nas escolas envolvendo todos os professores, funcionários e alunos em projetos pedagógicos e que premiam com o 14º e o 15º salários. Esses projetos são avaliados por uma comissão da UEPB com objetivo de melhorar a capacidade do aluno na aprendizagem e a critérios que devem ser atingidos pelas escolas. Esse é um esforço fundamental que beneficia tanto os educadores, com o 14º e um 15º salário, mas principalmente os alunos, que poderão estudar em escolas melhores que estão avançando na redução da evasão escolar e do analfabetismo e com uma melhor qualidade no ensino.





quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Sindicato dos ferroviários nega sala para Academia de Cordel em João Pessoa

O Sindicato dos Ferroviários indeferiu pedido da Academia de Cordel do Vale do Paraíba para ocupar uma sala vazia na sede da entidade, na Rua da Areia, em João Pessoa. O Presidente do sindicato, Severino Urbano, lamentou a recusa da diretoria em dar acatamento à solicitação dos poetas. “Fui atropelado pela diretoria e todos votaram contra a cessão da sala que está ociosa. Fui voto vencido, sinto muito por ter diretores ‘cabeça dura’ que não entenderam que as atividades da Academia iriam agregar valor ao sindicato”, disse ele.
O secretário da Academia, Fábio Mozart, e o tesoureiro, Thiago Alves, que são ex-ferroviários, também lamentaram a recusa dos sindicalistas em ceder um espaço físico ocioso para atividades culturais. “Fui fundador do Sindicato e fiquei decepcionado com a resolução dos companheiros, pois nosso intuito é de promover atividades culturais e recreativas que permitam o desenvolvimento intelectual dos associados, dinamizando a integração social, que é um dos objetivos da entidade de classe dos ferroviários, incluindo uma biblioteca com mais de mil títulos”, explicou Fábio Mozart.
Sander Lee, Presidente da Academia, disse que a entidade continuará buscando apoio para instalação da sede da instituição. “Temos um acervo de folhetos que precisamos colocar à disposição de estudiosos e do público em geral, além de constar em nossa agenda a realização de oficinas de cordel e xilogravura, mas os poetas hão de encontrar um espaço para sentar praça e produzir a literatura popular”, afirmou.
Para o compositor e poeta itabaianense Adeildo Vieira, essa postura “é mais comum do que se imagina no meio da burocracia política dos sindicatos que acabam virando as costas para a poesia”.

O diretor do Sindicato, José Cleofas, informou que a decisão não é definitiva e que poderá ser revista, aprovando o comodato com a Academia para utilização da sala. 

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Líderes camponeses disputam eleição pela primeira vez na região de Itabaiana

João Muniz com seu livro de poemas

João Muniz, poeta e líder dos trabalhadores sem terra em Itabaiana, e Danielly Gomes, do sítio Jacaré, zona rural de Pilar, disputam pela primeira vez o cargo de vereador em seus respectivos municípios. Natural de Itabaiana, João Muniz ficou conhecido pela militância de classe e pela veia poética. Ele é autor do livro Imagens da Resistência – Resistir para Existir, lançado na Itália, obra que revela uma realidade pouco conhecida no Brasil e no mundo: o Brasil dos camponeses e camponesas que lutam por suas terras e territórios, resistem e teimam em existir. O poeta nasceu na cidade de Itabaiana (PB), no povoado camponês Mendonça dos Moreiras, vizinho à antiga Fazenda Tanques, que hoje é o assentamento Almir Muniz, onde vive atualmente. Essa região foi marcada historicamente por duas culturas: a da poesia popular, radical em sua clareza; e a do latifúndio da cana de açúcar, violento por natureza. 
Danielly Gomes
Danielly Gomes é outra líder rural que está entrando para o mundo da política partidária, pelo Partido Socialista Brasileiro. Ela tem forte ligação com a vida do campo, e é uma das lideranças da região na luta por melhores condições de vida para aquelas populações. “Fui criada em um rancho de roçado, tomando caldo de feijão na mamadeira no lugar de leite, enquanto minha avó limpava o roçado”, lembra Danielly. Ela faz questão de explicar que quer ser vereadora para ter mais condições de ter voz ativa nas fontes de poder, e influenciar na busca de melhorias para as comunidades que representa. “Cansamos de falsos líderes que só pensam em si e vivem de esquemas políticos viciados”, explica Danielly, que tem no Governador Ricardo Coutinho um exemplo de homem público. “Ele é um político que a gente tem que se espelhar, porque dá exemplo de honestidade e trabalho”, disse.
A história de João Muniz tem lances de batalha, na luta pela terra. Desde a infância, junto com centenas de famílias camponesas, João vivenciou a luta pela terra e o enfrentamento ao monocultivo da cana de açúcar no estado. O assentamento onde vive foi conquistado a partir da organização e persistência das  famílias de trabalhadores rurais que nele trabalham. A área leva o nome de seu primo, Almir Muniz, assassinado a mando dos usineiros da região. João Muniz conta que desde criança aprendeu a resistir através da poesia, acompanhando o pai e o tio, poetas, nas feiras e festivais de várias cidades na região. Através das poesias apresentadas no livro, João Muniz conta a história de resistência de centenas de comunidades camponesas contra o latifúndio, seus valores e sua cultura. 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

ITABAIANA

Pré-candidato propõe redução de salário de vereadores na próxima legislatura



A ideia é criar uma lei de iniciativa popular que diminua o salário dos vereadores da cidade de Itabaiana, segundo Fernando Lima, um dos idealizadores. De acordo com ele, seriam necessárias assinaturas de 5% do eleitorado da cidade. Com essa intenção, fizeram circular petição online e cópia impressa, mas que não obteve muita adesão. “O povo de Itabaiana é muito reticente quando se trata de mexer com interesses dos poderosos”, lamenta Renaly Oliveira, componente do grupo de ativistas autores da proposta. Um vereador do Município percebe hoje R$ 4 mil reais para comparecer a quatro sessões mensais, sendo que o período de recesso chega a mais de cinco meses por ano. Conforme o projeto, o teto para o subsídio mensal dos Vereadores para as próximas legislaturas ficaria estabelecido em dois salários mínimos vigentes, nos valores de hoje, somando R$ 1.760,00. O prefeito teria um teto para seus subsídios de dez salários mínimos mensais, o que equivale a R$ 8.800.

A proposta de mudança da Lei Orgânica teria como objetivo, segundos seus idealizadores, a “moralização da função de ocupantes de cargos públicos que fazem disso profissão, transformando as eleições em guerras sujas onde o dinheiro fala mais alto, impedindo que cidadãos realmente interessados em contribuir com as mudanças para o Município possam ocupar tais cargos”, justificam os proponentes da petição. Segundo eles, se aprovado, o projeto traria uma economia substancial aos cofres públicos, recursos que poderiam ser carreados para ações de interesse da população.

Pré-candidato ao cargo de vereador na próxima eleição, Fernando Lima disse que está comprometido com esse projeto e será sua primeira proposição. “Vamos tentar sensibilizar a população para a importância de diminuir os altos salários de prefeitos e vereadores, porque política não é profissão e, se quiserem ter o respeito do povo, devem se tocar que são empregados da comunidade e não patrões”, disse ele, lamentando que a classe política é a única categoria brasileira que aumenta o próprio salário.